22 ago

Por Zeinab Bazzi

O Youtube ainda é pouco explorado pelo mundo fashion. Para reverter este cenário e aumentar a rentabilidade na plataforma, o jornalista Derek Blasberg foi contratado como responsável pelo novo departamento de parcerias de Moda e beleza.

Com foco no potencial desta vitrine com mais de 2 bilhões de usuários, Blasberg comanda o desenvolvimento de conteúdos audiovisuais com essas temáticas. Atualmente, já estão sendo feitas negociações com mais de 60 canais. A ideia é que os vídeos sejam semanais ou quinzenais. O Youtube não revelou se os custos de produção são compartilhados.

Conexão > Perfeição

Com a produção de conteúdos de marcas e figuras da área, é criada uma aproximação com o público. O material não deve ser perfeito, e sim, fazer com que quem assista se sinta conectado à mensagem.

Desde que assumiu, um dos primeiros projetos foi a reconfiguração do canal de Naomi Campell, que estreou em novembro do ano passado. Com o apoio do novo funcionário, a supermodelo tem hoje mais de 280 mil inscritos.

YouTube

Converter o interesse de apaixonados por Moda e beleza do Instagram para o Youtube. Este é o objetivo da plataforma. (Foto: Flaunter).

Foco no objetivo

Mas por qual motivo a plataforma decidiu traçar uma estratégia para Moda e beleza? A resposta é simples (e a solução, complexa): converter o interesse de marcas e influenciadores do Instagram.

A criação de canais de pessoas com renome no mundo da Moda (como Campbell e Victoria Beckham) é benéfico para todos os lados. Ela atrai um novo nicho à plataforma e fortalece, ou introduz, a presença dessas figuras para bilhões de usuários.

As marcas também ganham com a nova era: os seus anúncios são colocados em vídeos ainda mais relacionados com os seus públicos. E ainda há também um maior incentivo à produção de conteúdos próprios.

Além disso, com a ação, é estimulado o fim da linha entre youtubers e o que era entendido por celebridades tradicionais.

“O YouTube não separa Naomi Campbell de Emma Chamberlain. Ambas as vozes são autoridades na Moda. Quando você está conosco, queremos que continue”, afirma Blasberg em entrevista à Vogue americana.

Novas oportunidades

Além disso, grandes marcas conseguiram atingir novos públicos com o Youtube, como a Geração Z. Os jovens, nascidos entre 1990 e 2010, têm o hábito de passar horas assistindo vídeos.

Esse foi o caso das gêmeas Merrell, convidadas recomendadas por Derek Blasberg para o desfile de primavera 2019 da Dior.

“Elas não eram uma parceria óbvia que a Dior teria identificado. Contudo, geraram centenas de milhares de visualizações a mais do que a marca tem em seu próprio canal. Com isso, um público novo foi atingido, o de fãs da Geração Z”, diz Lauren Price, diretora administrativa da consultoria de branding Gartner L2, à Vogue americana.

 

veja também os posts relacionados

Comente via Facebook

Deixe seu comentário

Instagram
Leitura de moda