11 fev

Por Rafaela Carazzai

Não há duvidas de que Demna Gvasalia é o estilista do momento. Suas ideias visionárias em Vetements impressionaram tanto a indústria da moda que em 2016 a marca foi convidada a se apresentar na Semana de moda de Alta-Costura em Paris, mesmo com suas roupas oversized e pique streetwear que se divergem completamente das tradicionais peças couture. Gvasalia compreende a nova realidade da moda, onde as estações não importam, onde peças de verão são encontradas durante o inverno e vice-e-versa. Além disso, consegue comandar simultaneamente com Vetements, a Balenciaga, trazendo frescor e vanguardismo, sem perder as silhuetas icônicas. Não é a toa que ele foi nomeado a “Pessoa do Ano de 2016” pelo renomado site Business of Fashion.

 

 

Um homem de negócios
Gvasalia utiliza uma estratégia de negócios completamente diferente que chamou atenção da indústria. Em uma entrevista ao BOF ele alega que “o sistema não funciona mais, não existe relação entre a visão criativa e a visão comercial… Esse ciclo vicioso gira em uma velocidade extremamente alta e mata a criatividade e o business”. Ele dispensa as pré-coleções, focando apenas nas coleções principais agendadas para serem expostas em épocas não-habituais no mundo da moda, justamente para desafiar o mercado e moldá-lo do jeito que ele deseja, assim como ele faz com suas roupas. “A indústria inteira está rápida demais, pois nós –estilistas- temos que apresentar algo novo às lojas, de duas em duas semanas, para que o cliente não se entedie”, diz Gvasalia. E apesar de ser um desafio fazer com que esse sistema se reverta, ele muito humildemente aceita que a Vetements é uma marca nova e lida muito bem com a gestão do tempo de produção das roupas e o tempo que elas permanecem nas lojas. Afinal, a pressa é inimiga da perfeição.

Amigos com benefícios
Para sua coleção de Primavera/Verão 2017, Gvasalia convocou 17 marcas para acrescentar seus traços nas roupas e no styling. As colaborações contavam com nomes como Manolo Blahnik, Levi’s, Comme des Garçons e até a queridinha dos anos 2000, Juicy Couture. Encomendava-se o que é considerado o ponto forte de cada marca da coadjuvação até que no atelier da Vetements tudo era customizado, ganhando uma versão nova. As participações foram tão vantajosas para a marca queridinha do momento, quanto para todas as colaboradoras. Kristina Blahnik, chefe-executiva da marca dos famosos sapatos Manolos, disse que com a parceria, a marca foi introduzida a muitos estoquistas e lojas de varejo. Já, Nick Woodhouse, presidente da Authentic Brands Group, dona da Juicy Couture, declarou que gostou de reviver a marca ao seu público agora crescido, que antes as usavam quando eram crianças e agora, já adultos, são familiarizados com Vetements . A união faz a força, e essas colaborações foram a prova viva disso.

Em busca da felicidade
Antes de comandar a Balenciaga, Gvasalia trabalhou com Margiela, Marc Jacobs e Nicholas Ghesquiére na Louis Vuitton, mas saiu quando percebeu sua frustração com as roupas que produzia. Ao perceber que outros colegas de trabalho sentiam o mesmo, decidiram juntos criar a Vetements, onde poderiam se expressar criativamente como quisessem. “Tínhamos perdido a diversão na moda, notamos que era necessário fazer roupas contemporâneas, que dialogassem com o hoje”, disse o estilista em entrevista ao Business of Fashion. Sua ideia era criar roupas que as pessoas realmente usariam, sem ter que se preocupar com os requerimentos do mercado e sem ser avant-garde, uma moda que se integre ao estilo de vida das pessoas, que seja mais pé no chão.

Laços de Família
 Ao ver seu irmão ocupando suas noites criando com seus colegas de trabalho, Guram Gvasalia percebeu o potencial do projeto que Demna estava desenvolvendo. Foi sua ideia de comercializar a proposta Vetements, sem interferir em seu conceito. “Ele nunca chegou para mim e disse: nós temos que fazer isso porque é o que o mercado está pedindo. Ele vai fazer o seu máximo para vender o que nós acreditamos em uma marca, o que criamos.” No final temos que agradecer aos dois irmãos, um por criar uma marca com uma proposta incrível e o outro por vendê-la, porque caso contrário ela  seria apenas um projeto secreto, escondido de uma indústria que precisa de uma desobediência, a essência de Demna Gvasalia.

veja também os posts relacionados

Comente via Facebook

Deixe seu comentário

  • Djalma roberto andreosi fevereiro 20, 2017

    Eu n entendo praticamente nada de moda como um todo, mas achei o maximo como
    Se é criterioso para o lançamento de coleçoes de modelos de tendencias tudo
    Ao meu ver muito complexo e bem feito.

  • Instagram
    Leitura de moda