10 fev

Homens assumem a vaidade e passam a ser o novo alvo da indústria cosmética

Muito mais vaidoso que seus antepassados, o homem do século 21 é marcado principalmente pelo aumento de seu interesse por produtos de beleza que vem crescendo a cada dia, com ofertas cada vez mais tentadoras e sofisticadas. A vaidade masculina já não é mais um ‘tabu’ na sociedade em que vivemos e foi-se o tempo em que a conversa sobre moda e beleza pertencia somente às mulheres.  Segundo pesquisas de comportamento publicadas recentemente, apresentadas no Guia do Novo Homem (Editora Online), 0 movimento da ala masculina em se cuidar mais é global. Essa mudança é gerada pela conexão. Ele é muito bem informado, sabe o que é bom e o que está acontecendo no mundo. Sob essa influência, o homem brasileiro passa a querer se cuidar mais, algo que já acontecia, por exemplo, nos Estados Unidos e na França.

 

Entre cremes, séruns e perfumes: números promissores
Cremes para pele e cabelos, géis, produtos pré e pós barba, perfumes, desodorantes, filtro solar, maquiagens, etc. Os produtos oferecidos para o público masculino já se equiparam aos oferecidos para mulheres. Nas ultimas décadas, o homem passou a se interessar mais por cosméticos. Aos poucos, ganhou confiança, e a preocupação com a beleza virou algo aceitável. Isso vem transformando o mercado de estética masculino e ficou evidente que éramos mal atendidos. Pesquisa da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC) comprova que as vendas de produtos dirigidos ao público dobraram nos últimos anos.  Segundo estimativa da Euromonitor International, esse setor deve continuar  crescendo 7,1% ao ano até 2019, quando o Brasil deve se tornar o maior mercado no mundo da beleza.

Encomendada pela ABIHPEC, outra pesquisa da Qualibest, sobre os hábitos de consumo do homem brasileiro apontou que 43% dos homens entrevistados consideram-se supervaidosos. “Quando questionados sobre o que significa a vaidade masculina, a maioria respondeu que a vaidade masculina está ligada à valorização da autoestima e cuidado com a saúde e bem-estar”, comentou Raul Porto, executivo da Qualibest.

Se antes os homens tinham vergonha de ir ao salão de beleza, esse tabu ficou para trás. 83% dos entrevistados afirmaram que já foi o tempo em que só as mulheres se preocupavam com sua aparência e 54% deles já freqüentam regularmente salões de beleza e barbearia sem o menor receio. “Hoje em dia os homens têm uma série de produtos dedicados ao cuidado do cabelo, da barba e da pele. Temos certeza que este é um segmento com alta capacidade de expansão, pois ainda temos muitos tipos de produtos para explorar” afirmou Daniel Oliveira, gerente de Inteligência de Mercado da ABIHPEC.

“Nos últimos cinco anos o segmento de produtos masculinos cresceu 16% e este mercado posiciona-se como o segundo maior consumidor do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos” comentou Oliveira.

Uma curiosidade apontada pelo levantamento sobre os hábitos de consumo dos brasileiros mostrou que, apesar do aumento da procura por produtos especializados, eles ainda não estão satisfeitos com os itens disponíveis no mercado e buscam por mais opções de produtos para o cuidado com a barba, maquiagens com efeito corretivo e cremes para o corpo.

“A indústria brasileira de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos está atenta à demanda do mercado e segue investindo em inovação para este segmento. Temos certeza que os homens têm o mesmo potencial de consumo que as mulheres e vamos trabalhar para entregar produtos que atendam as expectativas deste público” finalizou João Carlos Basilio, presidente executivo da ABIHPEC. (por KARLOS FERRERA)

 

veja também os posts relacionados

Comente via Facebook

Deixe seu comentário

Instagram
Leitura de moda